quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Bomba de argamassa

A adoção de equipamentos de projeção de argamassa é sinalizada como uma das soluções para diminuir a interferência da mão-de-obra nas construções, principalmente em revestimentos de fachada.

Pesquisadores e engenheiros civis ouvidos pela reportagem afirmam que trocar a argamassa lançada manualmente pela aplicada por canequinhas ou projetores mais sofisticados rende melhorias já na visualização do trabalho executado nas fachadas - é mais uniforme que a aplicada manualmente. No entanto, exige uma logística mais apurada - como balancins maiores - e um custo maior de aplicação.

A energia de lançamento do equipamento é constante, o que operário não consegue lançando manualmente, a não ser que seja muito hábil.
Quando se introduz o equipamento nesse serviço, elimina-se essa variável da mão-de-obra, que pode comprometer a qualidade final do revestimento.

A BOMBA DE ARGAMASSA PROPORCIONA UMA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA MAIOR E MAIS UNIFORME.

As bombas necessitam de argamassa industrializada, de uma composição própria, e por isso encontram resistência. A dificuldade é que a bomba precisa de uma argamassa muito particular. É difícil produzir uma argamassa em obra que passe por esse projetor.
O revestimento executado com bomba apresentou um número reduzido de fissuras, enquanto o dos sistemas convencionais apresentou locais com intensa fissuração por retração. E apresentou também baixos índices de perdas de argamassa.

Como a bomba tem capacidade de transportar argamassa fresca continuamente até o local de aplicação, é possível reduzir o número de transportes e de estoques.

Produção de argamassa:
O método de produção de argamassa com bomba exige mudanças em relação aos sistemas convencionais. Com o uso de argamassas industrializadas específicas para bombeamento, as variáveis a controlar são apenas a quantidade de água e o tempo de mistura. Esse controle é fundamental para a qualidade do produto e para a bombeabilidade da argamassa.
Nesse sistema, é comum o uso de um misturador de argamassa junto à bomba. Dessa forma, a argamassa é despejada diretamente no tanque do equipamento, contribuindo para a redução de perdas. Essa organização é necessá ria para atender à alta capacidade de bombeamento.

A bomba deve estar próxima do local do revestimento, pois o mangote possui alcances horizontal e vertical limitados, os quais variam conforme o modelo do equipamento.

Em obra observa-se que a mecanização da aplicação de argamassa tem o potencial de tornar essa atividade mais rápida.
Para iniciar o uso da bomba é necessário montar o equipamento, regular o bico da pistola e o ar comprimido e lubrificar a parede interna do mangote com pasta de cimento.
Longas paradas devem ser evitadas, pois a bomba não deve permanecer muito tempo sob pressão, o que entupirá o mangote. Para evitar entupimentos deve-se limpar a bomba após o uso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário